Problemas Ortodônticos
mais comuns

Muitos fatores podem contribuir negativamente para o desenvolvimento de uma oclusão adequada. Alguns exemplos são a sucção de dedos e chupetas, posicionamento lingual inadequado, ausência ou perda precoce de algum dente, respiração bucal, fatores hereditários, traumatismos, enfermidades e alterações de desenvolvimento de origem desconhecida.

 

Não é preciso esperar os dentes permanentes para corrigir alguns problemas ortodônticos. A primeira avaliação ortodôntica deve ser realizada o mais precocemente possível. Uma das principais vantagens de iniciar cedo o tratamento é aproveitar o período de crescimento da criança para correção do problema, evitando no futuro tratamentos ortodônticos complexos e cirurgias.

apiñamiento.jpg

APINHAMENTO

O apinhamento dental ocorre por falta de espaço para acomodar todos os dentes na arcada. Dentes apinhados dificultam a higienização e favorecem o acúmulo de placa bacteriana e tártaro, podendo levar a problemas periodontais. Se resolvidos na infância, melhores resultados estéticos podem ser obtidos, diminuindo a necessidade de extrações dentárias.

Diastema1-1.jpg

DIASTEMAS

O diastema é um espaço extra entre dois ou mais dentes. Muitas crianças têm diastemas na dentição decídua (dentes "de leite"), mas esses espaços se fecham quando ocorre a troca dos dentes para os permanentes, na maioria dos casos. 

O diastema é mais comum entre os dois dentes incisivos centrais da arcada superior, muitas causas podem estar envolvidas e devem ser avaliadas por um ortodontista.

images (3).jpg

SOBREMORDIDA

Também chamada de mordida profunda, ocorre quando os dentes superiores recobrem os dentes inferiores por mais de 2mm, tornando-se prejudicial às funções mastigatórias. 

As causas devem ser avaliadas por um ortodontista e dependendo da gravidade o tratamento pode ser ortopédico funcional, ortodôntico, protético, cirúrgico ou exigir terapias combinadas.

unnamed (2).jpg

SOBRESSALIÊNCIA

Nestes casos, os dentes superiores ficam muito à frente dos inferiores, deixando um grande trespasse horizontal (sobressaliência) entre eles. A causa pode ser de origem dentária, quando os dentes estão muito inclinados para frente, ou esquelética, quando a maxila cresceu muito, ou a mandíbula cresceu menos do que deveria. 

unnamed.jpg

MORDIDA ABERTA

Na mordida aberta é observado um "espaço" entre os dentes superiores e inferiores, não ocorrendo contato mastigatório. Na maioria das vezes, ocorre na região anterior, mas pode também se encontrar nos dentes posteriores. 

A avaliação de um especialista deve ser feita o mais cedo possível e muitas vezes o tratamento Ortopédico Funcional ou Ortodôntico é indicado bem precocemente, independente da idade da criança.

1_0LA0V6GIV1HqrA9-bgv2EA (1).jpeg

MORDIDA CRUZADA

A mordida está cruzada quando os dentes inferiores se encaixam por fora dos superiores, contrariamente ao que seria correto. Em uma vista frontal, observa-se o deslocamento mandibular para o lado direito, esquerdo ou ambos os lados. Muitas vezes, causa assimetrias na face e problemas articulares, uma vez que a mandíbula não funciona de maneira bilateral e alternada.

Prognatismo-tipos-de-mordidas.jpg

MORDIDA CRUZADA ANTERIOR

Nestes casos, a mandíbula apresenta um crescimento em excesso, ultrapassando a maxila no sentido anterior e pode estar associado a uma falta de desenvolvimento adequado da arcada superior. Em casos avançados, os dentes superiores estão totalmente atrás dos inferiores. As pessoas com esta maloclusão ficam com uma aparência de "queixo grande" .

foto4_edited_edited.jpg

ERUPÇÃO DENTÁRIA ECTÓPICA

Erupção dentária ectópica ocorre quando o dente irrompe fora do seu lugar natural no arco dentário. A causa mais comum é a falta de espaço.